quinta-feira, novembro 13, 2008

Ocaso


Depois da tarde, o ocaso...
O pôr-do-sol aquiescente...
E nem disfarça, passa...
E a farsa?
É falsa!

Anda descalça...
É a beleza ininterrupta...
A grandeza incorrupta...
Eterna.... plena...
Salvando a cena.

É a flor...
O sentir...
Não mais dor...
Aquiescência...
Há mais amor...

Depois da arte, o ousar-se...
Superar-se...
O som do sol ao pôr-se...
Música musicando...
O sentindo...
Sentido retilíneo...

Um comentário:

AlmaMinha disse...

Também senti, daqui...

...O sol daí, que é o mesmo,
daqui.