terça-feira, dezembro 02, 2008

Pôr-do-Sol Dedicado...

O poeta e a poeta...
Contemplam, distantes, o mesmo Sol...
Indêntico pôr-do-Sol.
Consternado, recordo, com o passar das cores,
A distância...
Sofro, por um momento,
A angústia que aperta o peito...
Ela...
Tão perto e tão longe...
Está aqui e lá...
Ali...
Mas sei, este pôr-do-Sol...
Este pôr...
Poema...
Dedicado...
A faz sorrir...
Simples sorrir, eu sei.
Mas profundo sentir...
E ela recorda, também...
De um passado profundo em si...
Deslizam as idéias
E a conduzem a belas imagens...
Palavras, miragens...
Encanta-se.
São as cores...
As flores do entardecer...
O brilho antecipando o alvorecer...
Introduzindo o anoitecer...
O meio-tempo eterno...
É o meio para se chegar a si...
Vejo a ela e ela, a mim...
A poeta e o poeta,
Contemplam, enfim.

3 comentários:

Ella. disse...

[poucas palavras]
mais de"li"cado, impossível.

[abraço.]

AlmaMinha disse...

Se contemplar é permitido na poesia,
permito-me contemplar tua poesia.

Leveza de ser. disse...

Aceito. Com o sorriso das palavras do Poeta, com todo o sentido que teve em escrever, e em mim, ler.
Um café?
Até breve.