sexta-feira, fevereiro 05, 2010

In Números



Um coração.
Um cérebro.
Dois braços.
Duas pernas.

Um coração.
Um cérebro.
Dois braços.
Duas pernas.

Um cérebro.
Um coração.
Uma vida.
Uma servidão.

Um cérebro.
Sem razão.
Um coração.
Sem sensatez.

Uma razão.
Uma ração.
Um estômago.
Um vazio.

Um coração.
Um ôco.
Um servil.
Um ser vil.

Um cérebro.
Um ôco.
Um vazio.
Uma crença.

Uma cresça.
Duas pernas.
Dois braços.
Mas duas mãos.

Uma reza.
Dois joelhos.
Dois olhos fechados.
Um coração.

Um vazio.
Uma crença.
Uma criança.
Um infantil.

Um doce.
Um chiclete.
Uma palavra.
Um engodo.

Duas pernas.
Uma igreja.
Um sacerdote.
Uma mala de dinheiro.

Dois olhos.
Um tapa-olhos.
Um cego.
Umas moedas.

Duas pernas.
Uma porta.
Uma chave.
Uma cama.

Um copo d'água.
Um dormir.
Um pesadelo.
Um sonho.

Dois olhos.
Uma reza.
Umas palavras.
Um vazio.

Um cérebro.
Um pão amassado.
Um café mal passado.
Um vazio.

Um coração.
Uma enxada empunhada.
Umas gotas de suor.
Um vazio.

Duas pernas.
Uma porta.
Uma chave.
Um vazio.

Então, uma igreja.
Um sacerdote.
Uma riqueza.
Um embuste.

Um vida.
Um pão amassado.
Dois braços.
Duas pernas.

4 comentários:

itamar disse...

Cara muito massa. Uma vida, um vazio. A busca por preencher o "vazio" é o q faz mover nossos braços, pernas e mãos ou nos "paraliza" mas desde que de alguma forma que a sensação de vazio esteja ilusoriamente preenchida.

Leveza de ser. disse...

Do pão amassado a escolha.
Comer.
Não comer.
Uma boca.
Dois olhos.
Um pensamento.
Um turbilhão.
Dois ouvidos.
A cegueira.
A lucidez.
Um abraço meu caro.

João Lins disse...

Itamar, valeu o comentário, mano! Segue refletindo!

Iramaya, minha linda!
Tua escrita perscruta e encontra a luta escondida aqui.

Outro abraço a vocês!

Jamille Monteiro disse...

Um servil.
Um ser vil.

Adorei essa ídeia.. só tú pra colocar essa visão crítica numa bela poesia =)