domingo, abril 10, 2011

Cansei


É isso.
Cansei.
Estou cansado de tuas mentiras...
Cansado de teus "não posso"...
Cansado do teu não dito...
Cansei.
Cansei de teus olhos escorregadios...
De tuas palavras vazias...
De teus medos não confessados...
Cansei.
Cansei de servir sem ser visto..
Cansei de sorrir sem um outro sorriso...
De em servileza ser vil...
Cansei.
Para mim, agora é respirar...
Construir e reformar...
Deixar fluir...
Isto não é para mim...
Você não me merece...
Cansei.
Agora, vou deixar morrer...
Que morra esse sentimento que nunca existiu...
Mas que pensou em nascer...
Que morra, enfim, esse ser...
Cansei de você.

19 comentários:

@LanPaz disse...

Lindo... profundo... uf... Forte...
Sabe, vou te confessar uma coisa.. Eu ainda não me considero poetisa, porque uso mais meus poemas como remédio que como arte. Desabafo em cada linha, aquilo que não consigo mostrar no meu olhar... Quero escrever mais, com técnicas, com estilo, mas só consigo desabafar..rs

João Lins disse...

Então, vou te confessar uma coisa também: todo este blog, todos os poemas, todo meu escrito, é o mais puro remédio de minha alma para mim mesmo. Eis aí minha Condição de Liberdade...

giano mendes disse...

Se libertou.

Gabriella disse...

Não lembro de já ter visto um [você] deste tipo.

[.]

João Lins disse...

Gabi, nem eu. Acho que as condições atuais me deixaram à flor da pele. Mas em breve um descanso me sobrevem. Breve.

Heitor Idílio disse...

Assim sendo, que o rio flua então, com a precisão de quem enxerga no alvo, a chance de lançar um tiro certeiro, não para ferir, mas para mostrar que o ponto central é a meta almejada...

Um abraço meu irmão!!!

Amanda Falcão disse...

João... gostei muito deste seu desabafo... Sensível e firme ao mesmo tempo.
Beijos!

João Lins disse...

Obrigado, Amandinha.
Saudade de vocês.
Beijos!

Ela disse...

Como planta que tentamos cultivar, mas teimosamente ela insiste em não desabrochar.
Neste caso, vamos cuidar de nosso próprio jardim ... vale mais a pena.

Bjo

verdadeiroabrigo disse...

Arrepiou minha alma.

João Lins disse...

Ela, é isto. Jardins bem cuidados atraem borboletas vistosas.

Verdadeiroabrigo, senti teu carinho intenso no comentário.

Sheik disse...

Muito bom!! Finalmente estou conseguindo me identificar com suas poesias.

João Lins disse...

Sheik, obrigado.
É bom saber disto.

Grande Abraço!

JUSTICEIRA disse...

se todos tivessemos a capacidade de dizer BASTA na hora certa, certamente seriamos bastante mais felizes. Espero que estas tuas palavras tenham sido o trampolim verdadeiro para te realizares e realizares um outro alguém ;)

regiane disse...

hum... adorei... cada dia vejo uma nova face desse meu amigo poeta... parabéns...

Michele Santti disse...

Delicado viver as superfícies... Como diria Caio Fernando Abreu:
“Não consigo mais aceitar relações pela metade. Em outras palavras, raspas e restos não me interessam.
*******
Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente?
Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais — por que ir em frente?
Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia — qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê.
Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido...”

______________________________________




O Blog da Michele mudou de nome e caminho. Com pseudônimo agora:

Michele Santti
http://michelesantti.blogspot.com/

Igualmente o Twitter
@MicheleSantti

FaceBook
facebook.com/michele.santti

e E-mail
michelesantti@gmail.com

Michele Santti disse...

Delicado viver as superfícies...
Como diria Caio Fernando Abreu:
“Não consigo mais aceitar relações pela metade. Em outras palavras, raspas e restos não me interessam.
*******
Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente?
Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais — por que ir em frente?
Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia — qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê.
Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido...”

______________________________________




O Blog da Michele mudou de nome e caminho. Com pseudônimo agora:

Michele Santti
http://michelesantti.blogspot.com/

Igualmente o Twitter
@MicheleSantti

FaceBook
facebook.com/michele.santti

e E-mail
michelesantti@gmail.com

Michele Santti disse...

Querer esquecer é simplesmente relembrar...

Um beijo,
ótimo fim de semana.


Blog Michele Santti
http://michelesantti.blogspot.com/

Maria Luisa Fickelscherer disse...

Nossa você sempre me surpreende com esta sua facilidade de escrever seu coração. É como se eu ouvisse o tom da sua voz (sonho) ao dizer cada letra, aumentando a entonação e ao fim com um suspiro repleto de despedida.
........Não sei, mexeu comigo...