segunda-feira, setembro 08, 2008

A Ética Adulta



Hoje me veio à mente algo que gostaria de compartilhar... Os brasileiros absorveram um péssimo costume de considerar o "jeitinho" como algo brasileiro. Eis o caos instalado na mente de cada um e que propagamos sem saber que o estamos fazendo! Extirpemos tal afirmativa! Que o tal jeitinho se esbarre contra o chão, caindo de alturas inigualáveis e morra, sem chance de sobrevivência. É na fila do banco, na hora de comprar o pão, no supermercado, sei lá! Enfim, olhemos nossos atos e falemos em alto e bom som, quando alguém se sentir melhor do que outrem ou do que nós mesmos, que ele é um igual, seja ele "padre, doutor ou policial que acha que está contribuindo para o nosso belo quadro social", como advertira Raul Seixas.
E agora, chega a hora de eleger um candidato a cargo político. Como poderemos exigir ética deles, se cometemos a corrupção de furar fila, de querer vantagens com "amigos" na avaliação de um emprego, de uma prova, no contato de "QI" (Quem Indique), e muitas outras "coisinhas" que nos fazem um país em péssimo estado de distribuição de renda, de baixa esperança de mudança, de não acreditar que um outro seja capaz de ser honesto a ponto de ser notícia no jornal televisivo quando alguém devolve um dinheiro achado. Péssimo estado de coisas!
Dá-me náuseas pensar em tais comportamentos que reforçam ainda mais o estado depressivo de nossa vida cotidiana, que nos fazem o país do povo alegre, mas não feliz. Questionemos este estado de coisas... lembre-se, estado. É assim que nosso futuro poderá ser melhor, questionando, ensinando com exemplos verdadeiros, que promovam qualidade de vida para todos, pois quando o outro está bem, está feliz, fica mais fácil sermos felizes, estarmos bem. Pense nisto.

Um comentário:

Gênesson Honorato disse...

Mui difícil Jhonnn!!!
mui difícil...