sábado, outubro 31, 2009

Ela e Ela...



Vejo vultos...
Eternos e soltos...
Vem e volta...
Solta e amarra...

Vejo longe...
Longas e curtas...
Sonhos e satisfação...
Cordas e coração...

Amarro cedo...
Nem nego o que faço...
Falho sempre...
Falo e ela sente...

Dança solta...
Baila e insandece...
Corre e espalha...
Espelha beleza...

Vai ao rio, qual Narciso...
Nos olhos do rio se vê...
Arruma os cabelos longos...
Nem a vejo mais...

Assim, não a quero...
Desisto do rosto lindo...
Quero pessoas interessantes...
Movimentos sinceros...

Solta, ela parece voar...
Mas é presa de si...
Acorrentou-se ao espelho da parede...
Um muro tornou-se...

Olhou para mim...
Encarou-me profundamente...
Aproximou como que apaixonada...
Fitou meu olhar...
Ao fundo da retina...
Para enxergar-se a si, somente...

2 comentários:

Cláudia Tomazi, SC disse...

Elogiar é criar, na criação o elogio da vida e a elégia medida. Sarracena espada, creditada mantida criticada, também editada verdades da alma, lugares, olhares... Vida, divinizada vida, Lins, li.

João Lins disse...

Cláudia, fico extremamente lisonjeado com esta expressiva forma de mostrar o que se pensa e elogiar de tal modo...